23 de novembro de 2008

Web Semântica

A internet tornou-se um fenômeno mundial, sendo possível acessarinformações em diversas partes do mundo instantaneamente. O volume destas informações alcançaram números impressionantes nos dias atuais.Entretanto o vasto número de documentos Web e a falta de padronizaçãodessas informações originaram um problema para os usuários na hora denavegar na Internet e assim achar as informações desejadas. Esse problema é chamado de Information Overload. Segundo [1], esse problemaé caracterizado quando uma pessoa, ao realizar uma consulta, obtém umnúmero excessivo de informações como resposta e não consegueabsorvê-las ou tratá-las, tendo que examinar todos os documentosresultantes para encontrar as informações desejadas. Como a maiorparte das informações disponíveis na Internet, está disposta emlinguagem natural, sendo compreensíveis apenas por humanos, houve anecessidade de uma semântica que permitisse uma padronização dasinformações sendo possível o processamento dessas informações porhumanos e máquinas, surgindo assim a idéia do desenvolvimento da WebSemântica. O termo "Semântica" é definido como sendo o estudo dosentido das palavras.
O artigo [2], a frente de seu tempo, sugeriu quem em muito pouco tempo, um mundo onde dispositivos dotados de programas especializadose personalizados chamados agente, por meio da Internet pudesseminteragir trocando entre si suas informações, de forma a automatizartarefas rotineiras dos usuários. O projeto da Web Semântica, nada maisé do que a criação e implantação de padrões (standards) tecnológicosque permita essa interação e compartilhamento dos dados de uma maneirageral.
A web semântica é uma extensão da web atual na qual a informação épublicada juntamente com meta-informações explicitando sua semântica,o que é essencial para permitir a interoperabilidade e cooperaçãoentre diferentes computadores (machine-to-machine cooperation) sem queisso demande um esforço computacional tão grande como hoje em dia e, ao mesmo tempo, mantendo a capacidade já existente de fácil utilizaçãopor seres humanos (man-to-man cooperation) [3].
As pessoas dizem que a web semântica será a web do conhecimento, doponto de vista da geração de novos conhecimentos, esta afirmaçãocompletamente certa, a web semântica não terá conhecimento novo emrelação a web atual mas sim uma nova forma de estrutura que permitiráque o conhecimento (explícito) nela presente seja mais bemaproveitado, não só por pessoas, mas principalmente, por máquinas.Podemos comparar a web atual como uma biblioteca cheia de livros,porém sem nenhuma forma de organização – todos os livros estãoespalhados, e quem quiser procurar por algo deve ler todos atéencontrar o que quer. Já a web semântica é uma biblioteca estruturada,onde cada livro está separado de acordo com seu assunto, seu autor,editora, etc., ou seja, cada livro tem vinculado a si um conjunto deinformações extras que não dizem respeito a conteúdo novo, mas sim aopróprio conteúdo do livro (as chamadas meta-informações). Além disso,tais informações estão estruturadas segundo um padrão formal e bemdefinido. A existência desse padrão formal e bem definido tornapossível atingir o que é o grande diferencial da web semântica: apossibilidade de que máquinas sejam capazes de processar seu conteúdode forma muito mais eficaz e eficiente [3].
[editar] Referências
1. CHEN, H. "A textual database knowledge-base coupling approach tocreating computer supported organizational memory". In: OF THE , 1994,MIS Departament, University of Arizona. Anais... [S.l.: s.n.], 1994.2. BERNERS LEE,e.a. TheSemanticWeb., [S.l.], p.35–43,2001.3. J. D. Helfin. "Toward the Semantic Web: Knowledge Representationin a Dynamic, Distributed Environment". Submitted in partialfulfillment of the requirement for the degree of Doctor of Philosophy,Departamento de Ciência da Computação, Universidade de Maryland emCollege Park, EUA, 2001.


Categoria: Sistemas de Informação Distribuídos

3 comentários:

Unknown disse...

O excesso de informação realmente ñ é sinônimo de conhecimento. E está causando overload em cérebros já sobrecarregados. Adriana, vc deixou um post no meu blog (juntando-colando), desculpe ñ ter visto antes, ainda estou tentando voltar à realidade, depois da viagem. Se quiser detalhes sobre Bath e o q eu vi por lá, é só falar.

Adriana Sales Zardini disse...

Leila, eu não consigo acessar seu blog!! Me passa o endereço novamente?

Anônimo disse...

Olá,
Tudo bem?

Posso utilizar sua imagem para fim educacional?
Preciso usar a imagem para apresentar um trabalho na faculdade, esse será sobre a evolução das web 1 2 e 3.

Grata desde já,
Ariane

meu e-mail é arianencl@hotmail.com